Login Investidor

Home » Gestão De Riscos

Resumo Descritivo

O Manual de Gestão de Risco estabelece as diretrizes de análise e gestão de risco dos fundos geridos pela AR Capital Asset Management (“Asset”).

  1. Objetivo

Esta Política de Gestão de Risco (“Política”) tem como objetivo descrever os princípios, conceitos e valores que norteiam a gestão de riscos, sendo riscos de mercado, riscos de liquidez, risco de crédito, e riscos operacionais.

A Política também descreve o controle, o gerenciamento, o monitoramento, a mensuração e o ajuste permanente dos riscos inerentes a cada uma das carteiras dos fundos, inclusive em situações de estresse.

  1. Risco de Mercado

A gestão de risco de mercado é feita baseada na análise de sensibilidade da carteira do fundo às variações de preços dos ativos. Em conjunto com o mapa de exposições a risco de mercado, são traçados cenários de retorno do fundo no curto e longo prazo. Adicionalmente, é acompanhado o Value-at-Risk do fundo, calculado via simulação histórica de cenários baseados nos retornos dos últimos 252 dias úteis.

A área de Riscos fará análises de estresse na carteira do fundo através de cenários extremos de preços de mercado e será responsável por informar periodicamente a exposição ao risco de mercado dos fundos.

  1. Risco de Liquidez

A gestão de risco de liquidez visa apresentar mecanismos de controle que permitam os fundos serem capazes de honrar eficientemente suas obrigações esperadas e inesperadas, correntes e futuras, entre outras, sem afetar suas operações diárias e sem incorrer em perdas significativas.

O controle é feito é feita através da análise de compatibilidade entre os ativos e passivos do fundo, de acordo com a ICVM 555/14 e diretrizes dispostas pela ANBIMA. Abaixo são apresentados conceitos essenciais à área de Riscos:

  1. Risco de Crédito 

A gestão de risco de crédito é feita internamente pela área de Gestão de Risco através do monitoramento da concentração e da qualidade creditícia dos emissores e contrapartes aos quais os fundos estão expostos com base periódica, pode dispor de serviços prestados por terceiros para embasar decisões.

Baseado no resultado dos acompanhamentos, a área de Riscos poderá submeter reavaliação de ativo ao Comitê de Riscos para discussão referente a manutenção do ativo em carteira ou provisão de valores por deterioração da qualidade creditícia.

Todas as informações necessárias para a gestão do risco de crédito serão atualizadas no máximo trimestralmente e a área realizará análises de estresse na carteira do fundo através de cenários de deterioração de mercado e da qualidade creditícia das exposições do fundo.

  1. Risco Operacional 

Define-se risco operacional como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos. Inclui-se ainda o risco legal associado à inadequação ou deficiência em contratos firmados pela instituição, bem como às sanções em razão de descumprimento de dispositivos legais e a indenizações por danos a terceiros decorrentes das atividades desenvolvidas pela Asset.

A gestão de risco operacional é feita pela área de Compliance e prevê identificar, avaliar, monitorar, controlar e mitigar o risco operacional da estrutura da Asset de acordo com as melhores práticas e referências previstas em legislação.

A metodologia adotada para gestão de risco operacional está apoiada no Modelo de Gestão de Riscos Corporativos do COSO (Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission). Para o ambiente de Tecnologia adota-se o modelo de Governança de Tecnologia da Informação definido como COBIT (Control Objectives for Information and Related Technology).

Os processos de identificação, registro e tratamento das ocorrências são estruturados e formalizados em documentação específica. Quando uma ocorrência é identificada, os responsáveis devem avaliar a necessidade de um plano de ação ou melhoria. O departamento de Compliance deve cobrar os responsáveis para que os prazos sejam cumpridos. Todas as informações referentes às perdas associadas ao risco operacional serão documentadas e armazenadas.

A área de Tecnologia da Informação é responsável pelo Plano de Contingência, assim como as atualizações dos documentos e condução de testes de Contingência. Os resultados dos testes, incluindo deficiências, serão documentadas e acompanhadas pelo Compliance.

  1. Revisão da Política de Gestão de Risco

A presente política deverá ser revista e reavaliada anualmente.

  1. Este documento foi elaborado pelos departamentos de Compliance e de Gestão de Risco aprovada pelo Comitê Executivo e encontra-se disponível para consulta pública, em sua versão integral e atualizada, no website da Gestora: www.arcapital.com.br.Disposições Gerais